Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Não importa se estive, ou não!

A vida é um emaranhado de ações, reações e acontecimentos. Aqui, incluem-se as nossas ideias, pensamentos, divagações e estados de sentir. Ouvir a nossa intuição é primordial!

A vida é um emaranhado de ações, reações e acontecimentos. Aqui, incluem-se as nossas ideias, pensamentos, divagações e estados de sentir. Ouvir a nossa intuição é primordial!

Não importa se estive, ou não!

01
Mar18

A vida é um laço

Gabriela Lima

A vida é um laço que se desvincula em curtas metragens. Pelo menos, a minha. Não consegui ainda criar aquele contínuo, sendo que um passo leva a outro exatamente na mesma direção, sem desvios. A minha é uma linha de desvios. Nada me chega, nada me indica o fim de uma meta, mas sempre um início. Chego mesmo a pensar que não existem metas para mim, mas sim inícios. A culpa é das interrupções… sim, eu sei, a decisão de interromper é minha, seja por que razão for. E assim se faz novamente vida, e assim retomo o nervosinho miudinho de não saber para onde vou… e assim, penso eu, revisto a vida de nova vida, nova incógnita, nova insegurança… e, no fundo, sempre em busca da tal segurança, da tal certeza, daquilo que é. As divagações expandem-se para digressões de filosofia de vida, de escolhas por falta de grande escolha, seja pelas qualificações, ou a mais ou a menos, ou por que a sociedade nos torna cedo tão velhos… sempre em proporção à média de “validade”. Por isso, seremos sempre velhos muito cedo para começar, e verdadeiramente obsoletos no momento em que finalmente nos concedem a arte de reformar. Esta é apenas uma secção da vida que vincula todos.

Quanto às outras secções da vida… também cedo se faz velho quem tarde quiser ser mãe ou pai. Mães porque existe um relógio físico para efeitos de reprodução, pais por não quererem ser aos sessenta responsáveis por crianças de dez. Se a idade avança sem fruto do nosso ventre (e do deles, por mais estranho que pareça), adota-se porque já não se pode ter um ser biologicamente ou porque ainda se pode adotar.

Adotar faz sentido na medida em que se ajuda quem mais necessita. Não importam os outros motivos, se quem for adotado receber a mais-valia da ação.

E, com o último parágrafo, acabo este dia em tom de mensagem de “gossip girl”.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D